Grupo de Estudos Avançados em Saúde e Exercícios

 

O cncer de Gaia

Paulo Gentil

00/00/0000

Nova pagina 1

Antes de iniciar o texto interessante entendermos os conceitos de autopoiese e auto-organizao. Segundo FRITJOF CAPRA, autopoiese uma "rede de processos de produo, nas quais a funo de cada componente consiste em participar da produo ou transformao de outros componentes da rede... (a qual) produzida pelos componentes e, por sua vez, produz esses componentes" (CAPRA, 1996). Ou seja, cada componente do sistema participa da produo e ao mesmo tempo produzido, em um ciclo de interdependncia. Outro conceito importante o de auto-organizao. Um sistema auto-organizador pode corrigir seus erros atravs de mecanismos de realimentao (feedback), ou seja, a partir da deteco de erros o sistema pode reestruturar-se para que o prximo ciclo produza o resultado esperado. Todos os sistemas vivos so autopoiticos e auto-organizadores. 

Como referido no artigo Creatina & cncer, uma clula cancerosa resultado de um erro no ciclo de criao. Ao perceber essa falha, nosso corpo tenta corrigir-la atravs de seus mecanismos de defesa em uma clara tentativa de auto-organizao, porm essas clulas conseguem resistir e se desenvolvem de maneira desordenada. O problema que as clulas mutantes prejudicam todo o sistema autopoitico, tomando espao e competindo por nutrientes com outras clulas que atuam em processos produtivos e transformadores. medida que essas clulas se proliferam elas comprometem de maneira crescente o funcionamento de tecidos, rgos e por fim do sistema vivo inteiro. Porm ela prpria morre junto com o sistema, pois depende de produtos das reaes desse sistema para sua sobrevivncia, ou seja, destruindo os outros componentes ela destri o organismo e, conseqentemente, a si mesma.

Alguns estudiosos tambm vem o planeta Terra como um sistema vivo (denominado Gaia em homenagem deusa grega da Terra), conseqentemente autopoitico e auto-organizador, com as diversas espcies animais, vegetais e minerais sendo componentes desse sistema, todas elas ajudando e dependendo do funcionamento do sistema. Dentro desta perspectiva surge uma assustadora analogia. Qual componente se prolifera dentro da Terra de maneira desordenada, ocupando espaos e destruindo os demais? Que outra espcie, seno a humana, incapaz de viver em harmonia com as outras, tendo seu progresso tornado-se praticamente sinnimo da extino de componentes prximos a ele? No seriam os desastres metereolgicos, as incontveis epidemias e demais males que assolam a humanidade, mecanismos de defesa de Gaia contra ns? Nesse sentido a espcie humana se assemelha s clulas cancerosas: destrutivas e imunes s defesas do sistema agonizante, inocentemente ignorando o fato que sua prpria existncia depende do equilbrio desse mesmo sistema que est destruindo.

A nossa nica vantagem aparente sobre a clula cancerosa que somos portadores de conscincia (?) o que teoricamente nos permitiria mudar de atitude e cessar ou at mesmo reverter, nossas condutas nocivas. Desde a mais simples clula at o mais evoludo ser humano deveria saber que somos meros componentes dessa intricada teia de relaes e que a convivncia harmoniosa com os demais componentes, a nica maneira de garantirmos nossa prpria sobrevivncia. O que me pergunto : ser que a raa humana tomar conscincia disto antes que o processo de destruio se torne irreversvel?

S o futuro trar a resposta... enquanto isso, Gaia agoniza...